27
Jun 12

Metade dos universitários aceita estagiar sem remuneração

Inquérito do Universia revela que 89% dos mais de 300 mil estudantes portugueses do ensino superior querem fazer um estágio este Verão.

Com o desemprego a atingir um em cada três jovens, portugueses, 89% dos mais de 300 mil estudantes universitários quer estagiar, este Verão, e metade está disposta a fazê-lo sem qualquer remunerado, apenas para adquirir experiência profissional. A conclusão é do "Questionário de Emprego" realizado pelo Universia e pelo portal de emprego "trabalhando.com", em nove países ibero-americanos.

A outra metade dos estudantes universitários portugueses não está disposta a trabalhar sem remuneração (49% contra 51%) porque necessitaria de suportar gastos e rentabilizar o tempo.

A principal razão para os jovens quererem fazer estágio (respondida por 79% dos inquiridos) é adquirir experiência de trabalho, porque sabem que lhes valoriza o currículo quando forem procurar emprego, e que a oportunidade de integrar um mercado exigente requer uma preparação prévia. Os universitários tentam preparar-se, dentro e fora da faculdade, para se tornarem mais competitivos no mercado.

"Na altura de elevado desemprego que estamos a atravessar, as empresas podem beneficiar com esta opção numa solução de curta duração, para quem quer e precisa de trabalhar», afirma Bernardo Sá Nogueira, director-geral da rede universitária Universia em Portugal.

A maioria dos inquiridos (55%) espera poder crescer profissionalmente com o estágio, mais do que os que esperam ganhar créditos para a universidade (39%) e menos ainda (6%) os que esperam aplicar conceitos aprendidos na faculdade (6%).

Perante a possibilidade de prolongar o estágio, 79% dos inquiridos admitem que o fariam porque acreditam que os ajudaria a adquirir experiência, e 11% porque teriam a possibilidade de continuar a estudar. No entanto, 5% não faria esta opção, porque consideram que lhes dificultaria os estudos.

Fazer um estágio significa, na maioria dos casos, uma "introdução ao mercado de trabalho" e daí a sua enorme importância para os jovens universitários, defende Rita Vaz Jesus, técnica de recrutamento do Universia Portugal. "Para muitos recém-licenciados/mestrados é um primeiro contacto com o mundo empresarial e permite um contacto prático entre os conhecimentos adquiridos e as regras da vida empresarial», sublinha. É como uma "extensão da aprendizagem", permitindo aos jovens adquirir novas competências ou desenvolvê-las e preparando-os para o futuro profissional, acrescenta.

Serviços e tecnologias são as áreas mais populares
Seja por causa dos cortes de salários e pensões dos funcionários públicos ou por qualquer outra razão, a verdade é que a ambição dos estudantes universitários portugueses não é trabalhar no Estado, mas no privado. Mais de metade dos inquiridos (55%) gostaria de conseguir um emprego numa empresa privada e apenas 28% se mostram interessados em trabalhar no sector público. Para uma franja ainda considerável dos inquiridos (17%), o ideal seria ir para uma ONG.

Outra conclusão que se pode tirar deste inquérito é que o sector não é muito importante no momento de começar a trabalhar. O que interessa é poder realizar um estágio profissional, seja em que área for. Ainda assim, têm preferências distribuídas pelos vários sectores. Os mais populares são os sectores dos serviços e da tecnologia, com 24% das respostas cada um, 14% apostam nos recursos humanos, 12% na produção, 13% no marketing, deixando para trás a área comercial, o Direito e as Finanças.

O inquérito, realizado em Abril pela rede de universidades ibero-americanas Universia e pelo portal de emprego chileno "trabalhando.com", falou, em Portugal, com uma amostra composta maioritariamente por jovens do sexo feminino (66%), 51% tinha entre 21 e 26 anos e 38% mais de 27, enquanto 68% se encontrava no primeiro ciclo de formação (entre o 1º e o 3º ano do curso).

No total dos nove países inquiridos - Portugal, Espanha, Argentina, Chile, Colômbia, México, Peru, Porto Rico e Uruguai - uma maioria de 69% acredita que contar com alguma experiência profissional acaba por ser de grande ajuda para os estudantes. A maioria dos 27 mil inquiridos (66%) prevê realizar estágios profissionais, este Verão, uma percentagem muito abaixo da média portuguesa (89%).


Números do inquérito

89%
A esmagadora maioria de 89% dos estudantes universitários inquiridos pelo "Questionário de Emprego" prevê fazer um estágio este Verão. Apenas 11% diz que não tenciona estagiar este Verão.

51%
Metade (51%) dos inquiridos faria um estágio não remunerado, porque lhe serviria para adquirir experiência. A outra metade (49%) não está interessada em fazer um estágio sem receber dinheiro, porque precisaria de suportar gastos e perderia tempo.

55%
Mais de metade (55%) dos jovens que responderam a este inquérito gostaria de trabalhar numa empresa privada. Apenas 28% estão interessados no sector público e 17% preferia uma ONG.

Trabalho publicado na edição de 25 de Junho de 2012 do Diário Económico

publicado por adm às 13:40 | comentar | ver comentários (1) | favorito
tags:
08
Jun 12

Novos estágios para jovens desempregados

A taxa de desemprego jovem ultrapassa já os 36 por cento.

Para ultrapassar o “flagelo social” do desemprego jovem que atinge já o valor de 36 por cento, o Governo vai lançar um programa de novos apoios ao emprego, contratação e empreendedorismo suportado pelos fundos comunitários. O “Impulso Jovem” (que ainda não tem data para entrada em vigor) tem como medidas centrais um vasto programa de estágios profissionais, de apoio à formação e de incentivos ao investimento e está especialmente focado no sector dos bens transacionáveis e nas regiões Norte, Centro e Alentejo.

Se está desempregado este pode ser um caminho para regressar ou entrar no mercado de trabalho. Conheça as principais medidas respeitantes aos estágios profissionais que pretendem chegar a mais de 50 mil pessoas.

Passaporte Emprego

O que é: Estágio profissional com duração de 6 meses com formação mínima de 50 horas e com possibilidade de prémio de integração.

A quem se destina: Desempregados entre os 18 e os 25 anos, no desemprego há pelo menos quatro meses e desempregados entre os 25 e 30 anos, no desemprego há pelo menos quatro meses que tenham concluído pelo menos o terceiro ciclo do ensino básico há menos de três anos.

Promotores dos estágios: Empresas privadas do sector dos bens transacionáveis.

Em que regiões: Norte, Centro e Alentejo.

Quais os incentivos:

-Para o estagiário: Bolsa de apoio ao estagiário entre os 419,22 euros e os 691,71 euros (pós secundário e superior), em função da qualificação que será de 100% nos casos de empresas com 10 ou menos trabalhadores ou 70% nos casos de empresas com mais trabalhadores.

-Para o empregador: Prémio de integração que depende da dimensão da empresa se o estagiário obtiver um contrato de trabalho sem termo no final do estágio.

Número de estágios: 19.264

Passaporte Emprego Industrialização

O que é: Estágio profissional com duração de 6 meses com formação e com possibilidade de prémio de integração, direcionado para o desenvolvimento da industrialização.

A quem se destina: Desempregados entre os 18 e os 30 anos, no desemprego há pelo menos quatro meses.

Promotores dos estágios: Empresas privadas com projetos de investimento ligados à especialização tecnológica e introdução de novos produtos e estratégias comerciais focadas no aumento da competitividade e produtividade.

Quais os incentivos:

-Para o estagiário: Bolsa de apoio ao estagiário entre os 419,22 euros e os 691,71 euros (pós secundário e superior), em função da qualificação.

-Para o empregador: Prémio de integração igual ao montante atribuído durante o estágio se o estagiário obtiver um contrato de trabalho sem termo no final do estágio.

Número de estágios: 6.000

Passaporte Emprego Inovação

O que é: Estágio profissional com duração de 6 meses com formação e com possibilidade de prémio de integração.

A quem se destina: Desempregados entre os 23 e os 34 anos, no desemprego há pelo menos quatro meses e com qualificação de mestrado ou doutoramento.

Promotores dos estágios: Empresas privadas que pretendam quadros altamente qualificados.

Quais os incentivos:

-Para o estagiário: Bolsa de apoio ao estagiário entre 691,71 euros (mestrado) e os 943,25 euros (doutorado).

-Para o empregador: Prémio de integração igual ao montante atribuído durante o estágio se o estagiário obtiver um contrato de trabalho sem termo no final do estágio.

Número de estágios: 2.600

Passaporte Emprego Internacionalização

O que é: Estágio profissional com duração de 6 meses com formação e com possibilidade de prémio de integração.

A quem se destina: Desempregados entre os 18 e os 30 anos, no desemprego há pelo menos quatro meses.

Promotores dos estágios: Empresas privadas que pretendam implementar estratégias que aumentem a capacidade exportadora ou consolidem a internacionalização.

Quais os incentivos:

-Para o estagiário: Bolsa de apoio ao estagiário entre os 419,22 euros e os 691,71 euros (pós secundário e superior), em função da qualificação.

-Para o empregador: Prémio de integração igual ao montante atribuído durante o estágio se o estagiário obtiver um contrato de trabalho sem termo no final do estágio.

Número de estágios: 5.947

Passaporte Emprego Economia Social

O que é: Estágio profissional com duração de 6 meses com formação e com possibilidade de prémio de integração.

A quem se destina: Desempregados entre os 18 e os 30 anos, no desemprego há pelo menos quatro meses.

Promotores dos estágios: Entidades da designada economia social, ligadas por exemplo ao associativismo ou ao sector cooperativo.

Quais os incentivos:

-Para o estagiário: Bolsa de apoio ao estagiário entre os 419,22 euros e os 691,71 euros (pós secundário e superior), em função da qualificação.

-Para o empregador: Prémio de integração igual ao montante atribuído durante o estágio se o estagiário obtiver um contrato de trabalho sem termo no final do estágio.

Número de estágios: 7.000

Passaporte Emprego Agricultura

O que é: Estágio profissional com duração de 6 meses com formação e com possibilidade de prémio de integração.

A quem se destina: Desempregados entre os 18 e os 40 anos, no desemprego há pelo menos quatro meses.

Promotores dos estágios: Entidades do sector agrícola.

Quais os incentivos:

-Para o estagiário: Bolsa de apoio ao estagiário entre os 419,22 euros e os 691,71 euros (pós secundário e superior), em função da qualificação. Majoração nos casos de deficiência e incapacidade.

-Para o empregador: Prémio de integração igual ao montante atribuído durante o estágio se o estagiário obtiver um contrato de trabalho sem termo no final do estágio.

Número de estágios: 6.000

Passaporte Emprego – Associações/Federações Juvenis e Desportivas

O que é: Estágio profissional com duração de 1 ano com formação e com possibilidade de prémio de integração.

A quem se destina: Desempregados entre os 18 e os 30 anos, no desemprego há pelo menos quatro meses ou à procura de primeiro emprego.

Promotores dos estágios: Associações/Federações Juvenis e Desportivas.

Quais os incentivos:

-Para o estagiário: Bolsa de apoio ao estagiário entre os 419,22 euros e os 691,71 euros (pós secundário e superior), em função da qualificação. Majoração nos casos de deficiência e incapacidade.

-Para o empregador: Prémio de integração igual ao montante atribuído durante o estágio se o estagiário obtiver um contrato de trabalho com duração mínima de dois anos no final do estágio.

Número de estágios: 1.600

 

fonte:http://www.saldopositivo.cgd.pt

publicado por adm às 22:10 | comentar | favorito
06
Abr 12

Candidaturas abertas a estágios Contacto

A iniciativa é a porta de entrada para um estágio e um eventual emprego nas empresas do universo Sonae.

Os jovens que apresentem a sua candidatura a este programa ficam habilitados a participar no Dia Contacto, durante o qual conhecem de perto a realidade empresarial do grupo. Os finalistas que se destaquem durante este dia ficam apurados para um estágio.

"Acreditamos na existência de talento entre os jovens portugueses e por isso, mais uma vez, vamos proporcionar a possibilidade a alguns de desenvolverem as suas competências nas empresas Sonae", sustenta José Côrte-Real, administrador da Sonae com o pelouro dos Recursos Humanos.

As inscrições nesta plataforma, que funciona desde 1986,podem ser efectuadas em www.programacontactosonae.com. Até à data foram registadas 16 mil inscrições.

fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/no

publicado por adm às 21:22 | comentar | favorito
28
Mar 12

Sonae seleciona jovens para estágios

A Sonae já abriu as inscrições para o Dia Contacto 2012, um evento que reunirá dezenas de jovens que poderão vir a ser recrutados pelas empresas do Grupo. 

Os jovens finalistas do ensino superior podem candidatar-se até 9 de abril através da Rede Contacto, disponível em www.programacontactosonae.com.

A seleção de candidatos para a edição de 2012 do Dia Contacto será realizada, exclusivamente, entre os utilizadores registados da Rede Contacto e terá por base uma análise curricular e de competências. 

Esta plataforma é uma iniciativa pioneira, enquanto rede própria de um só grupo económico com o objetivo de encontrar novos e promissores talentos e conta já com 16 mil inscritos. Os selecionados terão oportunidade no Dia Contacto 2012 de conhecer de perto a realidade empresarial, sendo um momento privilegiado de seleção de talento. 

O administrador da Sonae com o pelouro dos Recursos Humanos, José Côrte-Real, afirma, em comunicado: «A Sonae é uma empresa inovadora e criativa, que procura recrutar os melhores entre os melhores. Acreditamos na existência de talento entre os jovens portugueses e por isso, mais uma vez, vamos proporcionar a possibilidade a alguns de desenvolverem as suas competências nas Empresas Sonae». 

A Sonae lançou o Programa Contacto em 1986 e já abriu as portas da empresa a quase 4 mil jovens.

No total, a Sonae já recebeu mais de 34 mil candidaturas ao Programa Contacto, que conduziram à seleção e participação de 3.900 jovens no «Dia Contacto», ao longo dos últimos anos, sendo que algumas centenas destes acabaram por integrar a equipa Sonae.

Todos os anos são concedidos estágios nas empresas do Grupo, que podem conduzir a posterior emprego efetivo. Na última edição, em 2011, foram recebidas mais de 11 mil candidaturas e foram selecionados cerca de 60 estudantes finalistas para estarem presentes no Dia Contacto 11.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 23:13 | comentar | favorito
05
Out 11

Sonae recebe mais de 100 estagiários por ano

A empresa abriu recentemente o programa de estágios “Call for you”,que acolhe mais 26 jovens todos os anos.

Nos seus vários programas de estágio, a Sonae recebe, "todos os anos, mais de uma centena de jovens talentos", revela a directora de recursos humanos do Centro Corporativo da empresa, Ana Cristina Fonseca. Apesar da crise, as vagas até têm vindo a ser reforçadas. "Prova disso é o lançamento do novo programa de estágios "Call For You", que vai proporcionar a 26 jovens uma oportunidade de desenvolvimento única", exemplifica Ana Fonseca.

Depois do estágio, existe a hipótese de integrar a empresa. "Temos vários casos de estágios em que mais de metade dos jovens recebem ofertas para integrar a equipa da Sonae", conta a directora de recusos humanos. "É um número que depende das oportunidades de cada momento, em cada negócio e da validade demonstrada", explica Ana Fonseca.

Esta é a esperança de Diogo Freitas, licenciado em Economia pela Universidade do Porto, que estagia neste momento na Sonae. "Esta experiência pode abrir-me uma porta de continuidade e permanência na empresa, o que seria muito bom", declara o estagiário. Quanto a estagiar nesta empresa, "a vantagem fundamental é a oportunidade que é dada a recém-licenciados de entrarem no mercado de trabalho "com o pé direito", numa empresa que tem óptimas condições e recursos para dar resposta a todas as dúvidas e dificuldades que um recém-licenciado encontra neste novo mundo do trabalho", diz Diogo Freitas. 

Cláudia Gomes Ribeiro acrescenta que "para além de conseguir aprender algo que desconhecia por completo, estar integrado numa empresa tão grande como é a Sonae dá-nos outra perspectiva do mundo empresarial". A licenciada em Economia pela Universidade do Porto entrou para um estágio do programa "Call for You" depois de ter visto um anúncio no jornal sobre estes novos estágios. A selecção de estagiários "privilegia a Rede Contacto [da Sonae] para o recrutamento de estagiários, mas não ignora outros canais", recorda.

A Sonae procura esse talento activamente, aceitando candidaturas de todas as universidades, mas mantendo "relações mais próximas com algumas escolas de formação, a destacar a Faculdade de Economia e Engenharia da Universidade do Porto, ISCTE, Nova de Lisboa, Universidade Católica do Porto e Lisboa, Universidade do Minho, Universidade de Coimbra e Universidade Técnica de Lisboa", afirma Ana Fonseca.

Para entrar nestes estágios, há características que não se dipensam: "Ambição, orientação para os resultados, pragmatismo, sentido crítico, criatividade e flexibilidade", frisa Ana Fonseca. Além disso, "a selecção tem em conta o desempenho académico e a avaliação das competências profissionais e pessoais", sublinha a directora de recursos humanos. 

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 23:28 | comentar | favorito
03
Jul 11

Estágios profissionais remunerados

Ordenado, subsídio de alimentação e inscrição na segurança social passam a ser obrigatórios nos estágios profissionais superiores a 3 meses.

 

O estagiário receberá no mínimo o equivalente ao indexante dos apoios sociais, no valor de 419,22 euros. A entidade empregadora deverá ainda fornecer a refeição ou subsídio de alimentação e subscrever um seguro de acidentes pessoais.

A nova lei veio regular uma área sem condições definidas e aplica-se a estágios de duração inferior ou igual a um ano. Entre outros, ficam de fora os estágios curriculares e os que têm duração inferior a 3 meses, se a entidade que o disponibiliza assim optar. O regime exclui também os estágios com comparticipação do Estado e na administração pública.

Outra das novidades é a existência de um contrato que estabelece as condições do estágio. É ainda obrigatório nomear um orientador de estágio.

fonte:http://www.deco.proteste.pt/tr

publicado por adm às 15:58 | comentar | favorito
23
Jun 11

Cursos de Gestão e Finanças já não garantem emprego

Segundos os últimos dados do Instituto do Emprego e da Formação Profissional (IEFP), os desempregados com licenciatura, mestrado ou doutoramento em Gestão, cuja área se enquadra nas ciências empresariais, eram os que registavam um maior número de inscrições nos centros de emprego em Dezembro de 2010 (8.867 inscritos).

Este número representa 18,3% do total de 48.522 de diplomados desempregados no final de 2010 e que procuram o seu primeiro emprego ou um novo posto de trabalho, em Portugal Continental.

Porém, os gestores não são os únicos a ocupar os lugares cimeiros entre os cursos com mais desemprego. Na tabela dos mais qualificados, estão as licenciaturas de Finanças, Gestão de Recursos Humanos, Marketing e Administração Pública. Estes são alguns dos dados revelados pelo último relatório anual do Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (GPEARI) - "A Procura de emprego dos diplomados com habilitação superior" do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior tutelado por Mariano Gago.

Por outro lado, segundo o mesmo estudo, os inscritos no IEFP com o 2.º ciclo do ensino básico diminuíram 4,2%, entre Dezembro de 2009 e Dezembro de 2010 assim como os inscritos com o 1.º ciclo do ensino básico, que regitaram uma quebra de 1,5%.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt

publicado por adm às 16:51 | comentar | favorito
01
Jun 11

Trabalho: Estágios profissionais obrigatoriamente remunerados a partir de setembro

Os estágios profissionais com mais de três meses terão de ser obrigatoriamente remunerados a partir de setembro, uma mudança que segundo o secretário de Estado do Emprego vai melhorar a entrada dos jovens no mercado do trabalho.

Segundo o decreto-lei hoje publicado em Diário da República, o novo regime “aplica-se a estágios profissionais”, sendo obrigatório atribuir ao estagiário um “subsídio de estágio, cujo valor tem como limite mínimo o correspondente ao indexante dos apoios sociais”, atualmente em 419,22 euros segundo o portal da Segurança Social na Internet.

Além disso, o estagiário tem ainda direito ao “pagamento do subsídio de refeição por cada dia de estágio” ou, em alternativa, a refeição fornecida pela entidade empregadora.

Este regime “vem preencher uma lacuna que é a necessidade de perceber que, durante um período de estágio longo, o estagiário está em formação mas também presta trabalho e não podemos continuar a tolerar que esse trabalho seja explorado sem qualquer tipo de compensação”, disse à agência Lusa o secretário de Estado do Emprego e Formação Profissional, Valter Lemos.

“Este é um passo muito importante no que respeita à melhoria de condições de entrada dos jovens no mercado de trabalho”, acrescentou.

Este regime aplica-se a contratos de estágios de duração não superior a um ano salvo estágios para aquisição de uma habilitação profissional, que podem ir até 18 meses. Já os estágios de muito curta duração, não superiores a três meses, podem ser "dispensados” do pagamento do subsídio de estágio, segundo o diploma.

Ainda de acordo com o decreto-lei hoje publicado, os estagiários também passarão a descontar para a segurança social.

“Ao contrato de estágio aplicam-se as disposições relativas às contribuições para a segurança social em vigor”, lê-se no decreto-lei n.º 66/2011, hoje publicado.

Segundo o secretário de Estado, “a novidade dos descontos para segurança social já tinha sido estabelecida numa legislação anterior relativa aos estágios profissionais subsidiados pelo Estado”, sendo agora estendida a todos os estágios profissionais.

Questionado sobre quantos estagiários poderão beneficiar deste novo regime, Valter Lemos afirmou serem “muitos milhares”, salientando ser difícil precisar números uma vez que “não existe nenhum registo dos estágios de caráter privado”.

Até agora “não havia obrigatoriedade de inscrever jovens na segurança social, nem a obrigatoriedade de os inscrever para efeitos de remuneração”, explicou.

Segundo o governante, os estágios subsidiados pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) foram de 40 mil o ano passado, estando previstos 50 mil para este ano.

O novo regime, acordado em concertação social, aplica-se aos estágios que comecem 90 dias após a entrada em vigor da publicação deste decreto-lei (terça-feira), no início do mês de setembro.

fonte:http://noticias.sapo.pt/

 

publicado por adm às 13:41 | comentar | favorito
17
Mai 11

Candidaturas abertas para estágios internacionais

Quer trabalhar fora do país, mas não sabe por onde começar? O programa INOV Contacto pode ser o empurrão para os jovens quadros. Até ao dia 31 de Maio de 2011, estão abertas as inscrições para a 16ª edição do programa da iniciativa do Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento que visa apoiar a formação de jovens com qualificação superior, com idade até 30 anos.

Na última edição de 2010/2011 foram seleccionadas 550 candidaturas para estágios profissionais no exterior em áreas como a gestão, economia, engenharias e telecomunicações.

Para ter mais informação sobre o programa siga este link e saiba tudo sobre estes estágios internacionais apoiados pela União Europeia.

fonte:http://www.saldopositivo.cgd.pt/

publicado por adm às 22:55 | comentar | favorito
07
Mar 11

Fim dos estágios profissionais não pagos

Os estagios profissionais extra-curriculares vão passar a ser obrigatoriamente remunerados. O Conselho de Ministros aprovou um Decreto-Lei que obriga à atribuição de um subsídio de estágio, com um valor mínimo correspondente ao indexante dos apoios sociais (419,22 euros). As empresas estão dispensadas de pagar este montante mínimo caso os estágios sejam de curta duração, ou seja, três meses.

O Decreto-Lei aprovado, mas que ainda não foi publicado em Diário da República, prevê ainda a obrigatoriedade da redução a escrito do contrato de estágio, onde deve constar o valor do subsídio, a identificação da área em que o estágio se desenvolve e as tarefas atribuídas ao estagiário, o local de realização e os tempos de realização das actividades do estágio e a existência de um orientador.

fonte:http://www.saldopositivo.cgd.pt/

publicado por adm às 21:10 | comentar | favorito