Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Empregos

Site com o objectivo de partilhar novidades e noticias sobre o emprego.

Site com o objectivo de partilhar novidades e noticias sobre o emprego.

Empregos

21
Dez11

Vale a pena ter canudo para procurar emprego?

adm

Um curso superior ainda faz a diferença quando se procura trabalho, garante o Conselho Nacional de Educação (CNE), que concluiu que a taxa de emprego é mais elevada entre os licenciados.

No estudo sobre o estado da Educação, o CNE reconhece que nos primeiros seis meses de procura de emprego pode não haver resultados mesmo com o «canudo» mas afirma que a partir daí as probabilidades de arranjar trabalho aumentam para quem tem um curso superior.

Enquanto a taxa de emprego para licenciados estava em 2010 nos 84,5% para as pessoas com o secundário completo estava nos 79,9% e para quem não passou do básico estava nos 68,2%
Actualmente, «um em cada três jovens até aos 20 anos está no Ensino Superior», afirmou em conferência de imprensa a presidente do CNE, Ana Maria Bettencourt, citada pela Lusa, o que é uma «evolução muito grande» em relação ao que se passava há dez anos, quando a percentagem não chegava aos 30%.

No ano lectivo de 2009/2010 havia mais de 383 mil alunos inscritos nos 3623 cursos das 143 instituições de ensino superior públicas e privadas, segundo os números do CNE.

No entanto, em 2000 havia mais alunos inscritos, uma redução que se explica «pela demografia», afirma o CNE, indicando que há menos jovens na população portuguesa.

Apesar de haver menos alunos a frequentar o sistema, a despesa anual com bolsas aumentou 70% desde 2006 e situa-se actualmente nos 160 milhões de euros, a números de 2010.

O CNE salienta como positivo o aumento que se verificou desde 2000 na oferta e número de inscritos em cursos de especialização tecnológica no Ensino Superior Politécnico.

Num sector que atravessa uma «grave crise financeira», o CNE defende a necessidade de reconfiguração da rede de instituições e oferta de cursos como forma de «racionalizar» o sector.

O CNE defende a necessidade de apostar na orientação escolar e profissional ao longo do percurso dos alunos, de modo a que os alunos saibam desde logo que cursos podem escolher e quais as oportunidades de emprego que conferem.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2013
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2012
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2011
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2010
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D