30
Set 12

Dicas para encontrar trabalho em tempo de crise

Filhe de olhos e ouvidos abertos, fazer contactos e enviar currículos, mas com critério.

“É verdade que o recrutamento baixa um pouco nos meses de verão, sobretudo no mês de agosto, mas é sempre possível encontrar emprego”, lembra o presidente da empresa de trabalho temporário Egor, Amândio Fonseca.  Por isso, convém

Faça uma procura seletiva. Defina objetivos. Andar à procura de ‘qualquer coisa’ é o mesmo que andar à procura de nada. Mesmo que tenha várias áreas de procura (e currículos para cada uma), deve definir objetivos  que lhe vão permitir obter mais informações sobre o mercado, a empresa e a forma como esta faz recrutamento. Só com este tipo de dados é possível fazer a diferença na abordagem às empresas.

Aposte num CV coerente. Adapte o CV para cada sítio que enviar, tirando ou acrescentado os dados mais relevantes. Antes de enviar, informe-se sobre as pessoas certas a contactar e a melhor forma de abordagem.  Não ceda à tentação de enviar para toda a gente.

Prepare a entrevista. Informe-se bem sobre a empresa e o trabalho a que se está a candidatar. Só assim poderá mostrar que sabe exatamente de que forma a sua contratação seria uma mais-valia.

Dedique-se ao networking. Muitas vezes, a melhor forma de encontrar emprego é ser recomendado por alguém. Saber de uma vaga no momento certo faz toda a diferença. Para isso é preciso mobilizar a sua rede de contactos. Percorra a lista telefónica, envie mails, aceite convites e conheça pessoas novas. Quanto mais pessoas souberem que procura emprego e as qualificações que tem, melhor. Faça o seu marketing pessoal.

Descanse e divirta-se. Não tem de se sentir culpado por ir à praia ou estar a divertir-se porque não tem emprego. Lembre-se que nos momentos de lazer também está a reforçar e a ampliar a sua rede de contactos, algo precioso para quem procura emprego. Além disso, zela pela sua saúde mental. A vida continua, com ou sem emprego, e a alegria (ainda) não paga imposto.

Carpe Diem. Enquanto o emprego não aparece, vale a pena apostar no trabalho sazonal ou temporário, aconselha Amândio Fonseca. “Há setores que aumentam o recrutamento nesta altura, como a restauração, mas também é possível pensar noutros trabalhos, como o apoio a piscinas ou apanha de fruta no estrangeiro.” Substituir pessoas nas férias também não deve ser encarado como um preconceito, “até porque há muitas empresas que encaram o trabalho temporário como forma de conhecer as pessoas e depois fazem recrutamentos permanentes, acontece com muita frequência”, garante.



fonte: http://activa.sapo.pt/vida/trabalho/2012/09/30/dicas-para-encontrar-trabalho-em-tempo-de-crise#ixzz27yCBZM8t

publicado por adm às 17:00 | comentar | favorito
19
Mar 12

Há 300 vagas de emprego para quem quiser trabalhar na Europa

A União Europeia tem ao dispor 300 vagas de emprego para quem queira sair do país. Estudantes universitários, recém licenciados ou profissionais - com pelo menos seis anos de experiência - terão agora oportunidade de arranjar trabalho dentro da Europa.

O sistema de seleção arrancou no final da semana passada mas ainda vai a tempo. É que o processo decorre até ao próximo dia 17 de Abril e as candidaturas podem ser feitas online através do sitehttp://europa.eu/epso/apply/today/adm_en.htm.

O jornal «Diário Económico» escreve que existem 296 lugares disponíveis para trabalhar em diversas instituições da União Europeia.

As áreas que mais precisam de trabalhadores são Relações Externas (há 33 vagas), Direito (existem 64 lugares), Administração Pública Europeia (há 114 vagas), Comunicação (há 42 lugares) e para Auditoria (existem 43 vagas).

Do bolo total, 219 dirigem-se a universitários ou recém-licenciados e 77 a profissionais com um mínimo de seis anos de experiência.

Para ganhar um lugar lá fora precisa apenas de ser cidadão de um Estado-membro da União Europeia e ter conhecimento de pelo menos duas línguas. A segunda língua terá de ser inglês, francês ou alemão.

A Europa precisa dos «melhores dos melhores». Até porque pretende ganhar cérebros capazes de ajudar a resolver os maiores desafios que o Velho Continente enfrenta nos dias de hoje.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/e

publicado por adm às 23:02 | comentar | favorito
17
Mar 12

Evite sete erros fatais ao procurar trabalho na internet

Não cuidar da imagem, entregar um currículo incompleto ou descuidar a abordagem offline são alguns dos erros cometidos por quem procura trabalho.

A procura de emprego ou de novo emprego requer o máximo de atenção e de preparação. O Expansíon compilou sete dos maiores erros que os profissionais cometem quando procuram trabalho através da internet.

1 – Perfil incompleto 
O seu perfil nas redes sociais profissionais e nos sites de emprego deve estar preenchido a 100%, tal como a sua versão em papel. As empresas não perdoam que este esteja incompleto e que os campos dos perfis estejam preenchidos como se fossem um telegrama. Um perfil incompleto só revela uma coisa sobre si: desinteresse. O que levar a um só resultado: ser riscado da lista imediatamente.

2 – Participar só por participar em processos de selecção
A rapidez dos dedos permite que se candidate a todas as ofertas que encontra mas este caminho não é o correcto. Só se deve candidatar às que se encaixam no seu perfil. Candidatar-se a ofertas de trabalho cujos requisitos não cumpra é um dos grandes erros.

3 – Não cuidar da sua imagem na internet
Quando uma empresa lhe interessa, a primeira coisa que faz é pesquisar por ela no Google, mas atenção: as empresas fazem o mesmo consigo. Cuide da sua reputação online, tenha cuidado com o que partilhe, com o que comenta, onde comenta, as fotos em que aparece ou os seus tweets e retweets.

Reveja a sua configuração de privacidade regularmente nas redes sociais em que está inscrito. É recomendável que só os seus amigos tenham acesso à sua informação pessoal.

4 – Não ser activo
Estar registado em todas os sites de emprego e nas redes sociais profissionais, ter um bom currículo, ter o perfil completo e ter acrescentado a sua melhor foto é um bom principio, mas estes são só os primeiros passos.

Se quer um novo emprego, tem que encarar a sua procura como um segundo trabalho, com uma dedicação religioso. Consulte as ofertas de emprego diariamente, para conhecer em detalhe as oportunidades que existem, em que empresas e em que sectores.

Adapte o seu perfil às necessidades do mercado, faça workshops e formações regularmente para se manter a par das novidades e interaja com as empresas.

5 – Aceitar contactos desconhecidos
Para a procura de emprego é essencial utilizar a rede de contactos, que podem informar-te das oportunidades profissionais e recomendá-lo internamente nas empresas em que trabalham. Cultive a sua rede de contactos, mas somente com contactos reais, ou seja, aquelas pessoas que podem falar de si e que o conhecem pessoalmente e profissionalmente.

6 – Não aproveitar as oportunidades oferecidas por um currículo online
Aproveite as oportunidades de espaço oferecidas por um currículo virtual para contar mais sobre si. Quanto mais informação tiver o seu perfil, mais oportunidades tem para ser encontrado pelas empresas.

7 – Descartar o real, o offline
A probabilidade de conseguir um novo emprego pela internet cresce cada vez mais todos os dias, mas apesar disso não deve descartar a procura de trabalho no mundo real. Fale com os seus amigos e familiares e avise que procura emprego e consulte os anúncios nos jornais, pode ser que não surja uma oportunidade imediatamente mas toda a ajuda e todas as formas de procurar emprego são importantes.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 00:19 | comentar | favorito