10
Abr 14

Há 130 vagas para professores de artes no Estado. Dois terços são para conservatórios

O Ministério da Educação vai abrir cerca de 130 vagas para vinculação de docentes do ensino artístico especializado, com efeitos a 01 de setembro de 2014, e inicia negociações com os sindicatos relativas a este concurso na próxima semana.

Das cerca de 130 vagas que vão abrir neste concurso de vinculação extraordinária, 80 serão para preencher as necessidades dos conservatórios, adiantou o secretário de Estado do Ensino e Administração Escolar Casanova de Almeida. "O nosso ponto de partida é que possam concorrer a estes vagas os docentes que estejam em exercício efetivo de funções à data da candidatura numa das escolas, que tenham pelo menos cinco anos de serviço efetivo docente e três anos sucessivos de serviço com horário anual e completo, nos últimos seis anos", explicou o ministro da Educação, Nuno Crato, que classificou este concurso como "uma boa notícia" para os alunos das escolas.

De acordo com o ministro, as vagas foram fixadas tendo em conta as necessidades permanentes detetadas nas escolas onde lecionam estes docentes: António Arroio, em Lisboa, e Soares dos Reis, no Porto -- as duas escolas de ensino secundário artístico especializado -- e os conservatórios públicos de música e de dança. O ministro sublinhou que, com os concursos extraordinários que decorrem ainda este ano, o Governo vai ter vinculado aos quadros do MEC mais de 2600 docentes até ao final de 2014. Não garantiu, no entanto, que, no caso dos docentes do ensino artístico especializado, este concurso permita passar para os quadros todos os docentes que cumpram os requisitos adiantados como ponto de partida e que vão estar em cima da mesa nas negociações sindicais.

"É um concurso. E sendo um concurso vão ser selecionados os professores, de acordo com as suas candidaturas, com os lugares determinados através de uma consulta que foi feita a estas escolas. É sempre uma estimativa e a nossa estimativa é de que isto corresponda às necessidades permanentes do sistema e ao número de professores que se encontra nessas circunstâncias", declarou o ministro.

Em fevereiro, Casanova de Almeida reuniu com diretores das escolas secundárias do ensino artístico especializado, para discutir as condições e requisitos para o concurso extraordinário. Na altura adiantaram que, na Soares dos Reis, há cerca de 50 professores contratados sucessivamente, com uma média de oito contratos. José António Fundo, subdiretor da escola, referiu, no entanto, que desses 50, há 40 docentes que têm pelo menos cinco anos de contratos sucessivos. Na António Arroio são 56 os professores de técnicas especiais a contrato, num universo de 60, adiantou o diretor da escola, Rui Madeira.

As escolas preferiram, no entanto, não avançar estimativas para vinculação destes docentes, "para não criar expectativas irrisórias", disse José António Fundo. Com Lusa

 

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/Ec

publicado por adm às 21:07 | comentar | favorito
22
Ago 13

Mais 44% de professores inscritos nos centros de emprego

A classe dos professores foi a que registou maior aumento percentual de inscritos nos centros de emprego, onde as inscrições, em julho, aumentaram 44% em relação a igual período de 2012.

No mês passado, 14714 professores do ensino secundário, superior ou que desempenhavam funções similares inscreveram-se num centro de emprego do país, segundo o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), que indica ainda que apenas dez conseguiram encontrar trabalho.

Em termos percentuais, os docentes foram os que mais sofreram com o desemprego, tendo registado um aumento de 44% em relação a igual período do ano passado, altura em que se inscreveram 10221, revela o relatório mensal do IEFP.  

No entanto, esta classe não é exceção, já que o desemprego cresceu entre quase todos os grupos profissionais. No total, em julho inscreveram-se 62949 desempregados (quase mais 33 mil pessoas que em igual período do ano passado).  

Depois dos docentes, surge o pessoal dos "quadros superiores da administração pública", que registou um aumento de 39,6%.  

Em julho havia cinco grupos profissionais que representavam mais de metade (52%) dos desempregados inscritos no continente: "Pessoal dos serviços, de proteção e segurança" (84261); "Trabalhadores não qualificados dos serviços e comércio" (73625); "Empregados de escritório" (64786); "Operários e trabalhadores similares da indústria extrativa e construção civil" (60481) e "Trabalhadores não qualificados das minas, construção civil e indústria transformadora" (54056).  

Em relação às ofertas de emprego, o IEFP informa que não foram ocupadas 18452 vagas, o que representa um aumento de 61,6% em relação a 2012.  

A "administração pública, educação, atividades de saúde e apoio social" estava entre as atividades económicas com mais ofertas disponibilizadas no continente. No total, havia 1062 vagas (em julho do ano passado eram 948).  

No entanto, o número de docentes colocados é muito residual: apenas dez professores conseguiram arranjar emprego. Já comparando com igual período de 2012 nota-se um ligeiro aumento (no ano passado foram apenas três).  

As "atividades imobiliárias, administrativas e dos serviços de apoio", "comércio por grosso e a retalho", "alojamento, restauração e similares" e a "construção" são as outras quatro atividades económicas com mais ofertas.  

O número de docentes inscritos nos centros de emprego tem vindo a aumentar. No ano passado, por exemplo, o número de inscritos mais do que duplicou em relação a igual período de 2011, sendo o grupo profissional com um aumento mais significativo.  

fonte.http://www.jn.pt/P

publicado por adm às 00:44 | comentar | favorito