Cerca de 70 pessoas apresentam no Algarve candidaturas para criar próprio emprego

Cerca de 70 pessoas já apresentaram este ano aos serviços do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), no Algarve, candidaturas para a criação do próprio emprego, disse à Lusa o delegado regional daquele organismo.

Em 2012, segundo Carlos Baía, mais de uma centena de pessoas desempregadas recorreram à medida de apoio do instituto para a criação do seu emprego, antecipando o valor do subsídio de desemprego, número com tendência para crescer, embora tenham que se acautelar os riscos.

"É preciso não perder de vista que a criação do próprio emprego tem riscos", referiu, sublinhando que é uma "responsabilidade muito grande" o facto de se atribuírem apoios a negócios que depois não são sustentáveis, o que cria "problemas aos serviços e também às próprias pessoas".

O delegado regional do IEFP falava à Lusa à margem do seminário "como Criar o seu próprio Emprego", destinado a pessoas em situação de desemprego ou de precariedade, assim como aos jovens em busca do primeiro emprego, público que praticamente encheu o auditório da biblioteca municipal de Faro.

De acordo com Carlos Baía, ainda há alguma falta de informação acerca dos mecanismos disponíveis, situação que o instituto quer combater com a realização de eventos deste género, no máximo de juntas de freguesia possível.

"A nossa grande preocupação é chegar aos cerca de 34 mil desempregados que temos em mãos", frisou, apelando à parceria das autarquias, empresas ou outros organismos, uma vez que o desemprego não é um "problema único" dos serviços públicos de emprego.

Carlos Baía observou ainda que os desempregados hoje inscritos nos centros de emprego têm perfis muito variados e currículos muito ricos, diversidade que não se encontrava nos ficheiros do IEFP há alguns anos atrás.

"Vale a pena às entidades empregadoras recorrer aos serviços públicos de emprego, quer pelo perfil dos desempregados, quer pela variedade de medidas de apoio ao emprego, contratação e estágios profissionais", afirmou.

O delegado do IEFP no Algarve sublinhou ainda que os seminários não se destinam apenas aos desempregados inscritos nos serviços, sendo abertos a toda a população, uma vez que entre as soluções apresentadas para a criação de emprego existe também a hipótese de recurso a empréstimos bancários.

O IEFP tem vido a realizar seminário como o de hoje, focado no empreendedorismo, em vários locais da região, neste caso em parceria com a Câmara de Faro.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 20:48 | comentar | favorito