Pesquisa de gás e petróleo aumenta procura por engenheiros

Bastonário regista "procura muito grande de engenheiros em Portugal para as indústrias extractivas de gás e de petróleo".

"Está a registar-se uma procura muito grande de engenheiros em Portugal para as indústrias extractivas de gás e de petróleo e existe uma crescente necessidade de as escolas superiores de engenharia se adaptarem a estas novas necessidades", defendeu hoje Carlos Matias Ramos, bastonário da Ordem dos Engenheiros.

Carlos Matias Ramos explicou que esta tendência também se verifica em outros mercados de língua portuguesa, nomeadamente Brasil, Angola, Moçambique ou Timor-Leste. Aliás, a crescente possibilidade de internacionalização que se deparou à engenharia nacional é outra das respostas do sector para contornar a retracção do mercado interno, em particular no segmento da engenharia civil.

É nessa lógica que a Ordem dos Engenheiros está a promover a realização, a 18 de Outubro, do 1º Congresso de Engenheiros de Língua Portuguesa, no Centro Cultural de Belém. A conferência inaugural responde à procura crescente das indústrias extractivas e traz a Portugal um dos maiores especialistas mundiais na extracção de petróleo em pré-sal, António Capeleiro Pinto, administrador da Petrobras.

A sessão plenária irá contar com as apresentações de diversos planos gerais e sectoriais de infra-estruturas e de desenvolvimento de Timor-Leste, Angola, Moçambique, Brasil e Cabo Verde. 

Haverá ainda oito sessões paralelas, organizadas pela Águas de Portugal, EDP, Portucel, Galp Energia, PT, APS - Administração do Porto de Sines, Direcção-Geral de Energia e Universidade do Minho, que servirão para empresas e engenheiros a título particular poderem verificar as diversas oportunidades de negócio e de emprego que existem nestes diversos países e nas referidas áreas de actividade.

A comemorar 75 anos de existência, a Ordem dos Engenheiros lança esta tarde o livro alusivo, da autoria de Maria Fernanda Rollo e Ana Paula Pires, numa cerimónia que será presidida por Carlos Matias Ramos.

 fonte:http://economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 23:03 | comentar | favorito