Soldadores e mecânicos com propostas salariais superiores a engenheiros, arquitetos e advogados

Serralheiros, canalizadores e torneiros mecânicos podem conseguir ordenados mais altos do que arquitetos ou advogados, nas três mil ofertas de emprego disponíveis em Portugal, segundo o portal do Instituto de Emprego e Formação Profissional.

Na página na Internet do instituto estão publicados anúncios onde se procuram torneiros mecânicos, soldadores serralheiros ou canalizadores com propostas salariais iguais e até superiores a engenheiros, arquitetos e advogados.

No sítio "netemprego" oferece-se um lugar para um engenheiro mecânico, em Lousada, com conhecimento de três línguas (inglês, francês e espanhol) e um salário de 600 euros, inferior aos 800 euros pagos a um torneiro mecânico, em Alcobaça, um serralheiro mecânico, no Pombal ou a um montador de tubagens, em Valença.

Por 750 euros há vagas para um eletricista, com o 4º ano de escolaridade, em Coruche, e 700 euros é quanto é oferecido a um canalizador ou um operário do fabrico de rolhas de cortiça, em Santa Maria da Feira.

O mesmo salário é oferecido a engenheiros civis, em Faro e Lisboa, com a obrigação de falarem inglês fluentemente.

No mesmo portal, há pelo menos duas vagas para advogados com salários de 840 e 850 euros, em Odivelas e Viana do castelo.

O ordenado mínimo nacional, 485 euros, é a oferta para um engenheiro agrónomo, em Trancoso, o mesmo proposto a um trabalhador agrícola para a apanha do tomate, em Mora, no Alentejo, e metade dos 834 euros oferecidos a um tratorista agrícola, em Viana do Castelo.

No setor agrícola destacam-se os 1.500 euros oferecidos a um casal que queira ser feitor/caseiro numa quinta da Covilhã.

Os salários mais altos, entre as ofertas disponíveis, são propostos a um mecânico de máquinas, com o 9º ano, a ganhar 1.500 euros, em Alvalade, e um lugar permanente de dois mil euros mensais para uma interprete de alemão e inglês, com conhecimento de finanças, banca e seguros, em Lisboa.

Há também um lugar para um arquiteto, em Viana do Castelo, com um salário de 850 euros, pouco mais dos 800 oferecidos a um desenhador, com o nono ano, na Marinha Grande.

Entre as ofertas com remunerações mais altas estão analistas de sistemas de informática, com o 12ºano, e propostas entre mil e 1.500 euros mensais, essencialmente para a zona da Grande Lisboa, ou um técnico de controlo da qualidade, com 1.500 euros, na Guarda.

Nas vagas com licenciatura como requisito há também lugar para um engenheiro mecânico a ganhar mais de 1.700 euros, em Loures, e outro engenheiro com quase 3.000 euros, em Santo Tirso, além de técnicos de serviços sociais, em Lisboa, com salários de mil euros e 900 euros para um psicólogo, em Torres Vedras.

No maior número de ofertas prevalece o salário mínimo ou valores próximos, mas há também empresas dispostas a pagar 850 euros a um pasteleiro, no Sabugal, com alojamento, 800 euros a um cozinheiro, na zona de Tavira, e 700 euros a uma empregada doméstica, na zona de Barcelos.

A maioria das mais de três mil ofertas de emprego correspondem a contratos temporários e algumas são disponibilizadas ao abrigo da nova medida de estímulo 2012, criada pelo Ministério da Economia para apoio à contratação nas empresas.

fonte:http://www.jn.pt/


publicado por adm às 20:58 | comentar | favorito