Encerramento da Delphi manda 321 pessoas para desemprego

A fábrica Delphi na Guarda vai encerrar no último dia do ano, deixando 321 trabalhadores no desemprego. O fecho da unidade fabril foi anunciada esta sexta-feira pela administração da Delphi, durante uma reunião com a comissão sindical e trabalhadores. A administração justificou o encerramento com a falta de encomendas devido à crise económica.

"Após o processo de reestruturação efectuado em 2009 e 2010, como resposta à perda de negócio, a Delphi encetou várias acções" para reduzir custos de funcionamento e adaptar a sua estrutura ao volume de encomendas, mas estas medidas não foram suficientes para viabilizar a continuidade da fábrica da Guarda com o actual volume de produção", declarou fonte da multinacional à Lusa. 

"Neste contexto, a Delphi decidiu consolidar todo o negócio de cablagens série em Portugal na sua fábrica de Castelo Branco encerrando no final do ano a unidade da Guarda", acrescentou.

A produção da unidade da Guarda também será deslocalizada para a Polónia, acrescentou Vítor Tavares, do Sindicato das Indústrias Transformadoras e da Energia (SITE). A decisão surpreendeu os trabalhadores porque "a última leva de despedimento foi para tornar a tornar a empresa viável e isso não se veio a concretizar", acrescentou.

O sindicalista aponta a falta de emprego na região e diz-se apreensivo com um futuro que "não se prevê muito risonho". "Depois de saírem os nossos colegas (nos despedimentos colectivos de Dezembro de 2009 e Maio deste ano) fomos muito pressionados para trabalhar muito e agora acabou-se", desabafou um funcionário do turno das 15h30.

Entre Dezembro e Maio, a Delphi despediu 601 pessoas, mulheres na maior parte. A Delhi já foi a maior empregadora do concelho da Guarda, com perto de três mil trabalhadores.

As indemnizações a pagar aos 321 funcionários deverão ficar decididas na próxima terça-feira, numa nova reunião entre a administração e os sindicatos. fonte:http://tv1.rtp.pt

publicado por adm às 23:57 | comentar | favorito