Desemprego não pára de subir!|!!

Com o voto de apoio do PSD, o PS chumbou a iniciativa dos restantes três partidos com assento parlamentar: comunistas, bloquistas e democratas-cristãos tentaram manter activas uma série de medidas adoptadas pelo Governo para combater a crise e ajudar os desempregados, mas retiradas na semana passada, em nome da redução do défice do Estado. Entre elas está o aumento por mais meio ano do prazo de concessão do subsídio social de desemprego, a majoração em 10% do subsídio e do abono de família de desempregados com filhos e a diminuição do tempo de descontos necessários para ter direito à prestação.

 

O bloco PS/PSD travou a medida precisamente no dia em que o Eurostat divulgou a estimativa de desemprego em Maio. De acordo com o organismo estatístico europeu, a taxa de desemprego nacional subiu para 10,9%. Portugal foi um dos quatro países onde a falta de trabalho se agravou: os restantes são precisamente os países onde o este problema é ainda mais grave do que por terras lusas: a Espanha (19,9%), a Eslováquia (14,8%) e a Irlanda (13,3%).

 

Atendendo aos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) do primeiro trimestre, a estimativa do Eurostat atira para mais de 610 mil os desempregados em Portugal. Em anos "normais", o mês de Abril já começa a mostrar um abrandamento do desemprego, uma vez que as empresas de turismo contratam trabalhadores para os meses do Verão; em Maio, essa tendência ainda se acentua. Este ano, contudo, nada disso está a acontecer, pelo menos de acordo com as estimativas Europeias.

 

Os dados oficiais portugueses do período Abril/Junho, apurados pelo INE, só serão conhecidos em Agosto. Ontem, o primeiro ministro, José Sócrates, dizia ter "esperança que estes meses" de Verão mostrem sinais de abrandamento do desemprego.

Enquanto isso, os jovens continuam a ser muito mais atingidos do que os adultos, embora os portugueses estejam, ainda assim, em melhores circunstâncias do que os jovens de outros países. Por cá, 22 em cada cem trabalhadores com menos de 25 anos não tinham trabalho.

Em toda a Europa, havia em Maio 23 milhões de desempregados, mais de metade dos quais nos países que usam o euro.

fonte:http://jn.sapo.pt/

publicado por adm às 15:51 | comentar | favorito