1.600 pessoas atiras para o desemprego pelo encerramento de 97 empresas

Este ano, 97 empresas já avançaram com despedimentos colectivos, só na zona da Grande Lisboa. Um processo que atirou para o desemprego quase 1.600 trabalhadores. Os números são avançados pela União dos Sindicatos de Lisboa, que cita dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) e do Ministério do Trabalho. 

Contas feitas, nos dois últimos anos, 260 empresas da região de Lisboa e Vale do Tejo iniciaram processos de despedimento colectivo, que colocaram no desemprego mais de 3.800 trabalhadores. 

A União dos Sindicatos responsabiliza a actual legislação e antecipa o agravamento dos despedimentos colectivos nos próximos meses. “A situação não tem sinais de se inverter. Ainda hoje se fala numa maior flexibilização e na necessidade de flexibilizar mais a lei quanto ao despedimentos colectivos”, acusa o dirigente da estrutura sindical, Libério Domingues, sublinhando que “o patronato continua a recorrer com facilidade a falências, muitas delas fraudulentas". "O que é certo é que cada ano que passa há um conjunto de empresas a fechar”, completa.

Ontem, a Média Capital Rádios anunciou o despedimento colectivo de mais de 30 funcionários do Rádio Clube Português, com efeito a partir de domingo. O desemprego em Portugal não pára de subir e atingiu o máximo histórico nos 10,9% em Maio, revelaram os últimos dados do Eurostat.

fonte:www.rr.pt

publicado por adm às 00:13 | comentar | favorito