Bloco aposta em criar emprego

Francisco Louçã apresentou hoje o programa eleitoral do Bloco de Esquerda  para as eleições legislativas antecipadas de 5 de junho.

O "objetivo principal" do compromisso eleitoral do Bloco de Esquerda é "criar emprego", anunciou ao final da manhã Francisco Louçã, durante a apresentação em Lisboa no programa do BE para 5 de junho.

O Bloco propõe que os "falsos recibos verbes" passem a ter um contrato efetivo. Com o seu plano de criação de emprego, os bloquistas ambicionam criar 90 mil novos postos de trabalho dentro de um ano e meio.

Francisco Louçã insistiu na necessidade de ser feita uma auditoria à dívida, "pois é preciso saber o que está na fatura". Após ser calculado o valor, o coordenador do Bloco de Esquerda voltou a defender a renegociação, pois "não é possível pagar um juro acima de 5%".

Fundo nacional de resgate da dívida

 

Como alternativa ao consagrado no memorando entre o Governo e a troika, Francisco Louçã propõe a criação de um fundo nacional de resgate da dívida, que seria alimentado por um imposto sobre as mais-valias urbanísticas, um imposto marginal de uma milésima sobre as operações bolsistas e uma taxa sobre transferências para offshores.

No compromisso eleitoral ("Mudar de futuro, pelo emprego e pela justiça social"), apostado na defesa do Estado Social, há propostas que entram agora no debate da campanha: "Um tecto aos acionistas das PPP para o nível médio da taxa de juro" ou agravamento do IRC sobre "empresas que têm apoios públicos, mas que distribuem dividendos aos accionistas em vez de reinvestir".

O Bloco de Esquerda propõe ainda uma "reorientação para a Caixa Geral de Depósitos" dos 12 mil milhões de euros do empréstimo que servirão para recapitalizar a banca.

fonte:http://aeiou.expresso.pt/

publicado por adm às 23:05 | comentar | favorito