Construção: 1550 novos desempregados por mês

O desemprego no sector da construção civil está a subir ao ritmo de 1550 por mês. A atividade caiu 13% no 1º trimestre. Os desempregados no sector da construção civil estão a subir ao ritmo de 1550 por mês. Nos dois primeiros meses de 2011, foram mais 3144 que se inscreveram nos centros de emprego, segundo o relatório de conjuntura da Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (FEPICOP). A taxa de desemprego na indústria é agora de 14,4% (74134 trabalhadores). Segundo a FEPICOP, a "procura insuficiente e os constrangimentos financeiros" explicam a destruição de postos de trabalho e estão a conduzir a indústria da construção civil "para níveis de produção insustentáveis para a sobrevivência de um grande número de empresas". No primeiro trimestre, os segmentos da construção residencial e da engenharia civil registaram uma queda semelhante, face ao mesmo período de 2010: 13,5%. O licenciamento de novas habitações reduziram-se 24%. Nas obras públicas, a FEPICOP destaca a quebra de 71% na contratação de vias de comunicação, cuja promoção nos primeiros três meses deste ano caiu em valor €309 milhões. O segmento dos edifícios não residenciais é uma exceção ao ambiente depressivo, subindo 2,9%. A explicação reside no programa de obras da Parque Escolar. A empresa representa 61% das adjudicações efetuadas, valendo €506 milhões. A componente privada deste segmento registou uma redução homóloga de 5,5%.

fonte:http://aeiou.expresso.pt/

publicado por adm às 23:31 | comentar | favorito