28
Jan 13
28
Jan 13

Candidaturas para 1905 estágios na Função Pública arrancam hoje

Estágio tem a duração de 12 meses com a remuneração mensal de 691,7 euros.

O INA - Direcção-Geral da Qualificação dos Trabalhadores em Funções Públicas anunciou que o período de candidatura ao Programa de Estágios Profissionais na Administração Pública Central (PEPAC) arranca hoje e termina a 8 de Fevereiro de 2013.

Em comunicado, o INA lembra que esta "é uma iniciativa governamental inserida no Programa "Impulso Jovem" , que visa "proporcionar uma experiência profissional em contexto real de trabalho". No total "estão disponíveis 1905 estágios, a decorrer em todas as capitais de distrito e regiões autónomas".

Podem candidatar-se ao PEPAC "jovens licenciados, até aos 30 anos, à procura do primeiro emprego, desempregados à procura de novo emprego ou activos à procura de emprego correspondente à sua área de formação e nível de qualificação", lê-se no documento.

Quanto às remunerações, "será atribuída uma bolsa de estágio correspondente a 1,65 vezes o IAS (Indexante de Apoios Sociais), no valor de 691,71 euros mensal, bem como subsídio diário de refeição, equivalente ao fixado para os trabalhadores da Administração Pública", explica o INA.

Os estágios têm a duração de 12 meses, não prorrogáveis, com início previsto a 3 de maio de 2013 e o processo de candidatura é conduzido através do site do PEPAC, acessível no portal da Bolsa de Emprego Público.

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 21:11 | comentar | favorito
27
Jan 13
27
Jan 13

Empresas de trabalho temporário querem colocar cem mil no estrangeiro

Dez mil portugueses já estão no estrangeiro, colocados pelas empresas do sector, que asseguram salários, alojamento e transporte, garante o presidente da APESPE.

As empresas de trabalho temporário podem ser uma porta de entrada para o mercado de trabalho internacional. "Actualmente temos 12 milhões de trabalhadores temporários na Europa, deste universo um milhão está em movimentos transaccionais. São casos de pessoas que têm um vínculo com uma empresa de trabalho temporário de um determinado país e que vão trabalhar num segundo país ", revela Joaquim Adegas. O presidente da Associação Portuguesa das Empresas do Sector Privado de Emprego (APESPE), em entrevista ao programa Capital Humano do ETV, revela que esta é "uma forma de emigração controlada já que estas empresas procuram as oportunidade de emprego e contratualizam as condições de trabalho , de alojamento de transporte". O que significa que "a pessoa quando sai para ser colocada no estrangeiro já sabe para onde vai trabalhar, quanto vai ganhar , que condições de trabalho vai ter e onde vai ficar", acrescenta. Poderá consultar as oportunidades de emprego em Portugal e no estrangeiro em www.apespe.pt.

Neste momento há apenas cerca de dez mil trabalhadores colocados nestas condições, mas o objectivo é que este valor possa chegar aos 100 mil . "Se o Governo facilitasse a exportação de quadros e a colocação de pessoas noutros países esta seria uma alternativa mais controlada de emigração", sublinha. Porque o que acontece, actualmente, "é uma emigração descontrolada e com perspectivas de regresso a Portugal muito baixas".

Neste momento, "há muitas oportunidades fora do país que não estão a ser aproveitadas, não por falta de vontade das empresas , mas por dificuldades burocráticas, questões que poderão ser ultrapassadas se houver vontade do Governo português de avançar com iniciativas para facilitar este movimento", alerta.

Um quarto das pessoas ficam nas empresas

Apesar do estigma que existe em relação às empresas de trabalho temporário , Joaquim Adegas revela que "cerca de 25% dos trabalhadores que entram no mercado através destas empresas acabam por ficar em permanência". E alerta que "é ilegal pedir qualquer tipo de verba a uma pessoa que esteja à procura de emprego". Mais: recorrer a estas empresas aumenta a probabilidade de conseguir um trabalho permanente. "Estudos europeus, revelam que depois de passarem por um trabalho temporário o número de pessoas que entra no mercado de emprego cresce para os 65%, quando antes era de 10%". Até porque "uma das coisas mais importantes para um desempregado é não perder o ritmo de trabalho e desvalorizar-se profissionalmente. Um empresário, ao avaliar um currículo, verifica se a pessoa está inactiva há dois ou três anos, questiona porque está há tanto tempo sem trabalho ", sublinha. O que diminui exponencialmente a probabilidade de ser contratado.

O presidente da APESPE revela que "os trabalhadores temporários ganham tanto ou mais do que alguém que está na empresa". Os números revelam que a média da duração contratual é de quatro meses, mas existe a tendência de repetir o contrato. Joaquim Adegas acrescenta que "quando alguém é recrutado através deste sistema faz o contrato com uma empresa de trabalho temporário que assume todas as responsabilidades de vínculo e de pagamento de salário". Depois a taxa de sucesso destas empresas privadas é muito mais elevada que a do sector público. Em 2011, o sector privado colocou 280 mil pessoas, quando o IEFP colocou apenas 60 mil pessoas e com custos muito mais elevados. Quanto ao programa do Governo para recorrer às empresas privadas para facilitar as colocar pessoas no mercado, ainda não houve qualquer contacto por parte do Executivo.

 

fonte:http://economico.sapo.pt/no

publicado por adm às 15:56 | comentar | favorito
23
Jan 13
23
Jan 13

Outsystems abre 40 novas vagas em 2013

A tecnológica portuguesa OutSystems pretende reforçar a sua equipa em 2013 com a contratação de 40 novos colaboradores, cerca de metade para a área de serviços profissionais e os restantes para o departamento comercial e de engenharia de software.

“Este investimento visa suportar a estratégia de crescimento e internacionalização da empresa, assegurando que contrata os melhores talentos para continuar a inovar e a adaptar a Agile Platform às novas tendências do mercado e à evolução das necessidades dos seus clientes de todo o mundo”, explicou a empresa em comunicado.

 

O processo de recrutamento é efectuado através de referência de colaboradores, candidaturas espontâneas no website da empresa, contactos resultantes das iniciativas promovidas junto de universidades, anúncios e posts que a OutSystems coloca à disposição em diferentes canais na Internet, bem como junto de agências de recrutamento.

 

Quanto ao perfil, a Outsystems procura na área dos serviços profissionais, recém-licenciados em engenharia informática e/ou profissionais com experiência e percursos sólidos em desenvolvimento aplicacional web, com forte orientação para o cliente.

 

Para a área de engenharia, os candidatos deverão ser formados em engenharia Informática e especialistas em desenvolvimento de software, com vista a concentrarem-se no desenvolvimento da infra-estrutura técnica e das ferramentas de desenvolvimento aplicacional que compõem a Agile Platform. Por fim na área comercial, os candidatos deverão ter experiência emvendas, nomeadamente na indústria de software, e “uma orientação excepcional para a resolução das necessidades dos clientes”, explicou a empresa.

 

A equipa da OutSystems é composta por 200 colaboradores, oriundos de Portugal, Estados Unidos, Holanda, Polónia, Brasil e África do Sul.

fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/em

publicado por adm às 20:57 | comentar | favorito
22
Jan 13

Governo vai limitar taxa do crédito ao consumo

O Governo prepara-se para limitar a taxa do crédito ao consumo. De acordo com o Jornal de Negócios, o executivo pediu ao Banco de Portugal que altere a fórmula de cálculo das taxas máximas praticadas no crédito ao consumo, para forçar a descida dos juros. Nos cartões de crédito e nas contas com saldo negativo, os valores chegaram quase aos 40% em Dezembro.  

A notícia faz manchete no Jornal de Negócios, que garante que a mudança deverá ser apresentada já no mês de Fevereiro de forma a colocar um "travão" nos juros cobrados nas diversas formas de empréstimo ao consumo. 

O anúncio do pedido ao Banco de Portugal para uma alteração na forma de cálculo das taxas de juro foi feito ontem pelo secretário de Estado adjunto da Economia, António Almeida Henriques, que deu como exemplo as taxas de crédito "revolving", onde se incluem os juros cobrados nos cartões de crédito, contas correntes bancárias e saldos negativos, cuja taxa chegou aos 37,3% em Dezembro passado. 

"Tem sido o sistema de crédito mais utilizado atualmente pelos clientes bancários e continua a ser incentivado pelas instituições crédito", disse o secretário de Estado. 

Ainda segundo o Jornal de Negócios, esta alteração pedida pelo executivo abrange também as taxas de crédito pessoal, atualmente com um limite de 7,2%, e o crédito automóvel, cujo teto está nos 17,1%.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/E

publicado por adm às 22:56 | comentar | favorito
tags:
22
Jan 13

28 mil empregos destruídos em Portugal, em três meses

A taxa de emprego em Portugal registou nova quebra no terceiro trimestre de 2012, representando agora 61,9% da população ativa, contra 66,3% no trimestre anterior. Em termos absolutos, esta descida traduz a destruição de 28 mil postos de trabalho entre junho e setembro de 2012, segundo indicam os dados hoje divulgados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

No conjunto dos países da OCDE, Portugal surge como o segundo onde a taxa de emprego mais caiu no terceiro trimestre do ano passado, por comparação com igual período de 2011. Apenas a Grécia registou um nível de destruição de postos de trabalho mais acentuado.

De acordo com a OCDE, Portugal tinha no final de setembro de 2012 4,351 milhões de pessoas empregadas, o que corresponde a uma taxa de emprego de 61,9%. Trata-se do valor mais baixo desde 2008. Em relação ao trimestre imediatamente anterior contam-se agora menos 28 mil postos de trabalho.

A comparação homóloga é igualmente reveladora dos efeitos nefastos da crise económica. Há um ano, a taxa de emprego medida pela OCDE era de 64,4% (correspondendo a 4,526 milhões de pessoas), o que significa que em um ano, a economia portuguesa assistiu á destruição de 165 mil empregos.

A quebra homóloga da taxa de emprego (que mede a proporção de pessoas empregadas entre os 15 e os 64 anos) foi em Portugal de 2,55%, apenas ultrapassada pela Grécia, onde se registou uma descida de 4,6%.Esta situação negativa em dois dos países alvo de um programa de assistência financeira não tem paralelo na Irlanda, onde os dados da OCDE indicam crescimentos homologo e trimestral da taxa de emprego.

Estes dados permitem ainda constatar que em Portugal a situação se degradou mais naquele terceiro trimestre do que em Espanha. É que em junho de 2012, Espanha e Grécia surgiam à nossa frente em termos de destruição de emprego, mas em setembro, Portugal trocou de posição com o país de Rajoy.

No conjunto da OCDE, regista-se, de resto, uma subida da taxa de emprego na maioria dos países. Áustria, Bélgica, Finlândia, França, Alemanha, Luxemburgo e Reino Unido são exemplos onde a situação era em setembro mais favorável do que um ano antes.

Na zona euro, a taxa de emprego era de 63,8% no terceiro trimestre de 2012, registando uma ligeira quebra em termos homólogos, mas estabilizada face ao trimestre anterior.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 22:55 | comentar | favorito
21
Jan 13
21
Jan 13

Governo criação de 134 empregos nos estaleiros do Mondego

O ministro da Economia e do Emprego, Álvaro Santos Pereira, anunciou esta segunda-feira um investimento de 18 milhões de euros na reativação dos Estaleiros Navais do Mondego (ENM), na Figueira da Foz, que vai criar 134 postos de trabalho diretos.

No encerramento da conferência sobre o mar, organizada pelo Diário de Notícias, que hoje decorreu em Lisboa, o governante anunciou ter assinado o despacho, que "possibilita o investimento de 18 milhões de euros na reativação dos Estaleiros Navais do Mondego (ENM)".

De acordo com Álvaro Santos Pereira, vão ser criados 134 postos de trabalho diretos, prevendo a reintegração dos ex-trabalhadores deste estaleiros, e 230 postos de trabalho indiretos.

O plano do grupo português Atlantic Shipbuilding, responsável pela reativação da construção e reparação naval na Figueira da Foz, declarado insolvente no final de 2011, prevê alcançar uma faturação de 66 milhões de euros nos próximos dez anos.

A Atlantic Shipbuilding foi formada em 2012 por profissionais ligados à atividade naval.

À margem da conferência, Álvaro Santos Pereira precisou que, na semana passada, assinou o despacho "a conceder o interesse estratégico aos ENM", adiantando que o objetivo é conciliar o apoio ao investimento com as medidas ativas de emprego, através do Estímulo 2012.

"Irá dar azo a cerca de 300 postos de trabalho diretos e indiretos", realçou o governante, considerando que é "um investimento importante para a região centro, criar emprego e apostar na economia do mar", que "será uma das áreas centrais do desenvolvimento económico".

Em declarações aos jornalistas, o ministro da Economia prometeu para "dentro de muito pouco tempo" novidades sobre a concessão da exploração de portos.

Na sua intervenção, Santos Pereira disse que "nos próximos dias" falará de "novas concessões nos portos e novas áreas de concessão", realçando que é preciso que "não se cometam os mesmos erros do passado".

"Importa que nos novos contratos não se cometam os erros do passado, passando para os privados o risco de operação".

fonte:http://www.jn.pt/

publicado por adm às 21:02 | comentar | favorito
18
Jan 13
18
Jan 13

Administração pública tem 1905 vagas de estágio para 2013

O número de Estágios profissionais na administração pública previstos para este ano já está fixado. São 1905 vagas e as candidaturas começam já no dia 28. 
Uma portaria publicada hoje em Diário da República estabelece a abertura do concurso para o Programa de Estágios profissionais na administração pública central (PEPAC) para o ano 2013. 

Onde se pode candidatar
As candidaturas são apresentadas exclusivamente através do preenchimento de formulário de candidatura on -line, disponível 
no site da Bolsa de emprego Público.


As candidaturas começam a ser entregues no dia 28 de janeiro e prolongam-se até ao dia 8 de fevereiro, para estágios a iniciar no inicio do mês de maio. 

Como funciona o processo
Até ao dia 8 de março de 2013, os candidatos admitidos provisoriamente são o, listados alfabeticamente no sítio do PEPAC e agrupados pelas  áreas de educação e formação e pelos distritos em que o candidato se disponibilizou para realizar o estágio. 

Até ao dia 9 de abril de 2013, os candidatos são provisoriamente ordenados no sítio do PEPAC, através da  aplicação da fórmula de avaliação curricular e, até ao dia dia 2 de maio de 2013, os candidatos são selecionados, em face das vagas disponíveis, por cada entidade promotora, por cada área de educação e formação, e por cada distrito.
Os estágios iniciam-se a partir do dia 3 de maio. 

Valor da bolsa atribuída
Aos estagiários é concedida, por cada um dos 
12 meses de duração do estágio, uma bolsa de estágio equivalente 1,65 vezes o valor correspondente ao indexante dos apoios sociais (IAS), ou seja 691,7 euros.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/E

publicado por adm às 23:11 | comentar | favorito
tags:
17
Jan 13
17
Jan 13

Douro Azul anuncia 222 vagas de trabalho

A empresa turística Douro Azul anunciou nesta quinta-feira a abertura de 222 vagas de trabalho, em diversas áreas. Entre as quais se pode encontrar a hotelaria, a náutica, a manutenção, entre outros. Um dos requisitos exigidos pela empresa é o conhecimentos da língua inglesa.


A empresa dirigida por Mário Ferreira procura, para a área de hotelaria, "diretores de navio hotel, assistentes de bordo, rececionistas, chefes de cozinha, cozinheiros de primeira, empregados de mesa, 'barmans', ajudantes de cozinha, empregados de quarto, copeiros, terapeutas de spa", segundo refere em comunicado.

A Douro Azul procura preencher, também, vagas de funções como mestres de tráfego, maquinistas e marinheiros dentro da área náutica.

Já em termos de manutenção são procurados carpinteiros e electricistas. No campo do transporte terrestre procuram-se motoristas de pesados de passageiros.

Segundo a empresa, a Douro Azul conta com cinco navios-hotel e vai inaugurar dois novos em março, tendo também "autocarros de luxo".

Os candidatos deverão ter "total disponibilidade para ausências prolongadas".

As pessoas que se candidatarem devem falar inglês, preferencialmente também alemão, ou francês e ter experiência em cruzeiros turísticos ou hotelaria.

De acordo com o comunicado, a Douro Azul transportou no ano passado "cerca de 14 mil passageiros de 39 nacionalidades diferentes, correspondendo a perto de 100 mil dormidas na região do Douro".

fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/


publicado por adm às 22:23 | comentar | favorito
12
Jan 13
12
Jan 13

CSP lança 100 estágios profissionais na próxima semana

A Confederação dos Serviços de Portugal (CSP) assina segunda-feira um protocolo para criar cerca de 100 estágios no âmbito do programa Impulso Jovem. Acordo vai ser firmado em Santarém com Miguel Relvas, ministro-adjunto e dos Assuntos Parlamentares.

De acordo com a CSP, os estágios serão criados em áreas como as telecomunicações, distribuição e centros comerciais e às empresas de segurança, entre outras. Estes estágios poderão depois passar a contratos.

Luís Reis, presidente da Confederação, considera que a adesão da CSP ao Impulso Jovem se enquadra nas medidas que apresentou ao governo para a criação de emprego. "Ao dar mais oportunidades aos jovens e dotá-los com mais competências, estamos a contribuir para atacar um dos problemas mais graves que o país enfrenta: uma taxa de desemprego jovem que já atinge quase os 40%.”

O programa Impulso Jovem foi criado para atenuar o impacto do desemprego nos jovens, seguindo-se a um repto por Durão Barroso, presidente da Comissão Europeia, aos oito Estados membros que apresentam maiores dificuldades de integração da população jovem no mercado de trabalho. 

A Confederação dos Serviços de Portugal representa os sectores da distribuição, telecomunicações, centros comerciais, comunicação comercial, comércio grossista e eletrónico, saúde e tecnologias. A CSP representa 20% do PIB nacional e os seus associados são responsáveis pela cobrança de mais de um terço do IVA pago em Portugal. 

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 22:09 | comentar | favorito
07
Jan 13
07
Jan 13

Como dar um salto na sua carreira em dez passos

Se a opção é ir trabalhar para outro país, lance mãos à obra e invista na procura.

São recomendações que devem constar da agenda de qualquer executivo que queira garantir uma progressão na sua carreira e uma sobrevivência no seu posto de trabalho no ano que agora começa. Apesar da crise e do pessimismo, há que incluir algumas destas resoluções no seu plano de ataque ao novo ano, segundo a revista norte-americana "Forbes".

1.Consiga um aumento ou promoção: antes de mais, pense o que faz ou oferece, que vá ao encontro das necessidades da empresa. Por melhores que sejam as suas capacidades, se a empresa não precisar delas não justificará uma promoção ou aumento. Por isso, a melhor forma de garantir que tem o que a empresa precisa é fazer uma lista das suas responsabilidades diárias, quais foram os seus maiores projectos, futuras responsabilidades e, se possível, quantificar os seus ‘inputs'. Assim que conseguir reunir essa informação sobre o valor que pode acrescentar à empresa, treine a conversa mais difícil da sua vida com um amigo em quem confie.

2.Reduza o stress: tenha sempre em mente que não consegue fazer tudo sozinho, portanto, mais vale nem tentar. Não passe a vida com o mundo às costas. E a melhor forma de o evitar é perceber se o seu stress vem de terceiros ou se está a colocar demasiada pressão sobre si próprio. Se assim for, recue um pouco e comece por coisas simples, como dormir mais e fazer exercício físico. Não existe uma receita universal para diminuir o stress, cada pessoa tem de descobrir o que funciona melhor consigo: se é ir dar uma volta ao edifício, ligar a um amigo, jogar um jogo ‘online' por cinco minutes ou simplesmente respirar fundo. Seja o que for, tente introduzir essa prática ao longo do seu dia.

3.Seja mais organizado: só vai conseguir organizar-se a partir do momento em que tiver organizado a sua agenda e a sua secretária. A sua secretária reflecte-se directamente na forma como gere o seu trabalho e é a primeira impressão que terão de si. É importante manter o seu espaço de trabalho limpo e organizado porque também ajuda a reduzir o stress, a partir do momento em que conseguir encontrar o que procura mais fácil e rapidamente.
4.Arranje um novo emprego Se odeia o seu chefe e o que faz e não vê oportunidades de progressão, veja primeiro se poderá mudar de função na própria empresa, que é a maneira mais fácil de mudar no contexto de crise e que poderá ser bem sucedida.Se tiver competências em falta no mercado de trabalho, então olhe para fora e procure um novo emprego.

5.Melhore o equilíbrio entre a sua vida familiar e profissional Seja claro em relação aos seus limites e não prejudique constantemente a vida social e familiar em favor do trabalho. Se quer sair cedo, tente chegar mais cedo e rentabilizar a manhã. Outra solução é delegar mais. Experimente passar algumas das tarefas aos seus colegas e não tente ficar com tudo para agradar a todos, porque já se sabe que é impossível agradar a gregos e troianos. Por último, lembre-se que amanhã também é dia.

6.Faça networking de forma mais eficiente Sempre que embarca numa perspectiva de networking profissional e entra numa rede. relacione-se com os outros profissionais numa perspectiva de parceria. Lembre-se de que ambos estão na rede para partilhar, aprender e ajudarem-se profissionalmente.

7.Melhore a sua relação com o chefe e com os seus colegas Se há relação que tem de ser alimentada é a sua com o seu chefe, já que, no limite, é ele que controla o seu destino. E tem tudo a ver com comunicação. Esteja permanentemente em contacto com ele, de forma a mostrar-lhe o que vai fazendo e que está ali para o ajudar no que for necessário. Pergunte-lhe como pode ser melhor no seu trabalho e quais são as suas expectativas. Mas a cooperação com os colegas também não deve ser esquecida: tente conhece-los melhor e ofereça ajuda.

8.Desenvolva as suas capacidades de comunicação ser bom comunicador é meio caminho andado para ter sucesso no emprego. Se não for, experimente ter formação especifica ou ler livros sobre o assunto.

9.Volte a estudar Nunca é tarde para aprender e reciclar o que sabe. A formação ao longo da vida é cada vez mais importante. Há muitas opções para voltar a estudar em horário pós-laboral ou cursos online.

10 Lide melhor com o email e o voicemail Procure responder aos emails e telefonemas no próprio dia, se possível, dependendo do que exige a resposta e do seu tempo disponível. Uma maneira de evitar uma lista enorme de emails pendentes é limpar a sua caixa de correio electrónico regularmente. Quando ouve ou lê a mensagem e já registou a informação, apague, a não ser que precise mesmo de guardar a informação.

 fonte:http://economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 23:33 | comentar | favorito