Mais 44% de professores inscritos nos centros de emprego

A classe dos professores foi a que registou maior aumento percentual de inscritos nos centros de emprego, onde as inscrições, em julho, aumentaram 44% em relação a igual período de 2012.

No mês passado, 14714 professores do ensino secundário, superior ou que desempenhavam funções similares inscreveram-se num centro de emprego do país, segundo o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), que indica ainda que apenas dez conseguiram encontrar trabalho.

Em termos percentuais, os docentes foram os que mais sofreram com o desemprego, tendo registado um aumento de 44% em relação a igual período do ano passado, altura em que se inscreveram 10221, revela o relatório mensal do IEFP.  

No entanto, esta classe não é exceção, já que o desemprego cresceu entre quase todos os grupos profissionais. No total, em julho inscreveram-se 62949 desempregados (quase mais 33 mil pessoas que em igual período do ano passado).  

Depois dos docentes, surge o pessoal dos "quadros superiores da administração pública", que registou um aumento de 39,6%.  

Em julho havia cinco grupos profissionais que representavam mais de metade (52%) dos desempregados inscritos no continente: "Pessoal dos serviços, de proteção e segurança" (84261); "Trabalhadores não qualificados dos serviços e comércio" (73625); "Empregados de escritório" (64786); "Operários e trabalhadores similares da indústria extrativa e construção civil" (60481) e "Trabalhadores não qualificados das minas, construção civil e indústria transformadora" (54056).  

Em relação às ofertas de emprego, o IEFP informa que não foram ocupadas 18452 vagas, o que representa um aumento de 61,6% em relação a 2012.  

A "administração pública, educação, atividades de saúde e apoio social" estava entre as atividades económicas com mais ofertas disponibilizadas no continente. No total, havia 1062 vagas (em julho do ano passado eram 948).  

No entanto, o número de docentes colocados é muito residual: apenas dez professores conseguiram arranjar emprego. Já comparando com igual período de 2012 nota-se um ligeiro aumento (no ano passado foram apenas três).  

As "atividades imobiliárias, administrativas e dos serviços de apoio", "comércio por grosso e a retalho", "alojamento, restauração e similares" e a "construção" são as outras quatro atividades económicas com mais ofertas.  

O número de docentes inscritos nos centros de emprego tem vindo a aumentar. No ano passado, por exemplo, o número de inscritos mais do que duplicou em relação a igual período de 2011, sendo o grupo profissional com um aumento mais significativo.  

fonte.http://www.jn.pt/P

publicado por adm às 00:44 | comentar | favorito