7 ideias para conseguir emprego

A menos que passe a vida a saltar de emprego em emprego – o que, já de si, é suspeito para qualquer empregador que se preze – é muito difícil ser realmente bom numa entrevista de trabalho. Mas pode, pelo menos, esforçar-se por não parecer tão mau que acabe por ser rejeitado mesmo sendo o único candidato. Aqui ficam sete ideias que podem ajudá-lo a preparar-se o melhor possível.

 

1. Só tem uma oportunidade para causar uma boa primeira impressão, por isso, prepare o melhor possível os primeiros minutos. Além do óbvio – escolher a roupa com cuidado, chegar a horas, informar-se sobre a empresa e o cargo em causa –, se sofre de suores frios, tremores e nervoso miudinho, tente fazer qualquer coisa que o relaxe antes de ir para a entrevista. Vá ao ginásio, leia um capítulo do seu livro preferido numa esplanada, dê um mergulho no mar... o que quer que funcione para si. Nos minutos antes de entrar na sala, faça exercícios de respiração para controlar os batimentos cardíacos. Entre na sala de costas direitas e cabeça erguida mas gestos descontraídos – uma pose confiante pode fazer milagres, mas não se parecer que engoliu uma colher de pau – e sorria quando estiver a apresentar-se, falando de forma calma e articulando bem cada palavra.

2. Não faça filmes. Tentar prever como as coisas vão acontecer e prevenir-se contra tudo o que pode correr mal só vai contribuir para aumentar o seu pânico quando a entrevista se desviar daquilo que imaginou. Em vez de tentar antecipar reacções, trabalhe na sua capacidade de se adaptar a rumos inesperados que a conversa possa tomar – e especialmente de reconduzi-la ao caminho que mais lhe convém.

3. Imite. Não sabe o que fazer às mãos? Se há-de encostar-se na cadeira para parecer descontraído ou inclinar-se para a frente para mostrar interesse? Se deve cruzar a perna ou manter os dois pés no chão? Copie a linguagem corporal dos seus entrevistadores e esforce-se por fazê-lo com naturalidade. Se tem tiques nervosos – está sempre a mexer no cabelo ou rói as unhas ou esfrega as palmas das mãos nas pernas a cada cinco segundos para ter a certeza de que não estão transpiradas – evite-os, por exemplo levando um caderno e uma caneta para a entrevista e tirando apontamentos. Não só mostrará mais interesse como manterá as mãos ocupadas e longe dos gestos que, repetidos à exaustão, o fariam parecer um psicopata perigoso.

4. Não invente. Se lhe perguntarem por um momento particularmente mau da sua carreira, seja o mais honesto possível. Não invente desculpas para o que correu mal; assuma as suas responsabilidades na perda de um cliente importante ou explique como um mau briefing arruinou um projecto que parecia ganho à partida. Se a culpa não foi sua, explique-o com igual clareza, mas evite discorrer sobre a incompetência de colegas ou chefes. Uma resposta clara e concisa, sem juízos de valor, será suficiente para esclarecer os seus entrevistadores e demonstrar-lhes que não estão perante um língua de trapo capaz de desfazer qualquer colega à primeira oportunidade e contar ao mundo tudo o que se passa no escritório.

5. Deixe um (grande) bocadinho à imaginação. Sim, você está ali para dar-se a conhecer no seu melhor. Mas não há necessidade de contar pormenorizadamente cada momento que contribuiu para chegar onde está ou lamentar-se demoradamente sobre os azares que teve na vida. Ser confiante é uma coisa, convencido é outra. Da mesma forma como a humildade nada tem que ver com a falta de auto-estima. Seja qual for o seu caso – superego ou insegurança grave –, não há necessidade de se mostrar exactamente como é. Dourar a pílula não é nenhum pecado – excepto se se vender como a última Coca-Cola do deserto quando no fundo não passa de um profissional medíocre.

6. Não se ofenda. Nada é pessoal. Se lhe parecer que de repente a entrevista começou a azedar, não se atire aos seus entrevistadores e evite parecer desesperado. Lembre-se que eles não foram ali para o crucificar mas antes estão a investir tempo em si, para conhecê-lo melhor e talvez dar-lhe um emprego. Só essa ideia já deve ajudá-lo a abrir um sorriso. Continue a falar com calma e clareza e aproveite para falar de um momento específico da sua carreira, um episódio divertido e com o qual tenha aprendido alguma coisa importante, conduzindo a conversa de volta a um tema em que esteja mais à vontade.

7. Seja paciente. As coisas demoram o seu tempo por isso não seja ansioso. Isto vale para antes, durante e depois da entrevista. Não atropele as palavras dos seus entrevistadores. Espere pela sua vez de falar e responda apenas ao que lhe perguntam, em vez de vomitar inconsequentemente todas as suas opiniões sobre tudo e mais alguma coisa sem pausa para respirar. E não hiperventile se não lhe ligarem logo no dia a seguir. Um ou dois dias sem notícias não tem de significar que não gostaram de si.

 

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 23:06 | comentar | favorito